Buscar
  • The Bear Office

Manifesto do Urso em relação ao Covid-19

De forma a contribuir com a sociedade, nossa equipe passou a semana refletindo em como o Urso poderia ajudar num momento tão delicado e concluímos que a ferramenta que temos para fazer a nossa parte é a informação.

Nós, como agentes de mudança neste mercado, acreditamos genuinamente que a união e o senso de cidadania vão guiar a todos nós, para que num futuro próximo sejamos mais fortes e colaborativos, e estejamos mais preparados para tudo o que vier pela frente.


Pois bem, indo na contramão de muitos veículos tradicionais de mídia reforçamos que a perspectiva otimista é fundamental para enfrentar as adversidades deste momento e para tanto apresentaremos o assunto da maneira que o vemos, como uma oportunidade de sermos melhores.

Neste manifesto falaremos sobre ações que inspiram acima de tudo esperança, aquela que habita no DNA de cada brasileiro.


DISCLAIMER: ESTE ARTIGO NÃO TEM CARÁTER POLÍTICO E O URSO REAFIRMA SIGA AS RECOMENDAÇÕES DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E DA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE.


Fatos e Dados

Sejamos francos, essa é uma das piores crises dos últimos tempos. Na Ásia, de acordo com o globo espera-se a primeira retração da economia chinesa desde 1976.

Um problema complexo que trata de um cenário incerto onde o consumo em massa foi inibido - o que por sua vez afeta diretamente na receita. Apesar disso, vemos os esforços do governo Chinês em retomar o crescimento acelerado:

Segundo o National Bureau of Statistics a economia deve melhorar nos próximos meses, impulsionada por políticas de ajuda adotadas pelo Governo, como o corte na taxa de juros, injeções de liquidez e redução de taxas e impostos.


No Japão, posicionada de forma contrária ao Governo Japonês (que ainda acredita que as medidas de isolamento social não são necessárias), a Governadora de Tóquio decretou lockdown na capital.

Ainda esta semana, Singapura modificou sua estratégia, e aderiu a quarentena até o início de Maio.

Na Europa, todos sabemos que a situação é complicada, considerando que houve uma demora para reagir e falta de alinhamento entre os líderes destes países.

A Alemanha tem comprovado que a boa estrutura de testes é o melhor - e mais barato - caminho. Inclusive o ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz, afirmou que a UE deve aplicar o fundo de resgate do Mecanismo Europeu de Estabilidade para apoiar os países vizinhos cujas economias são mais impactadas.

No Reino Unido, vemos a intensificação das medidas contra o coronavírus e conforme o ministro da Saúde britânico, Matthew Hancock, o país vai seguir as táticas já adotadas por seus vizinhos.

Além disso, foi entregue nesta semana um dos maiores hospitais de campanha já vistos, o hospital de Nightingale pode chegar a oferecer até 4.000 leitos.

Este número equivale a dez hospitais convencionais e foi construído em menos de dez dias com a colaboração do Exército.

Já no Ocidente, Nova Iorque se tornou o novo epicentro da pandemia, e o sistema de saúde dos EUA já fazem previsões sobre quando ocorrerá um colapso.

Em contrapartida, Trump apoiado pelo congresso norte-americano, aprovou o maior pacote de estímulos econômicos da história do país, totalizando U$2 trilhões.

Este pacote tem como objetivo ajudar empresas, famílias, o sistema de saúde e os governos locais durante a crise decorrente da pandemia do COVID-19.


E no Brasil?

Os números são subestimados, de acordo com o estudo científico da Our World In Data a situação pode estar até 20 vezes pior do que se apresenta. Isso se deve principalmente à questão dos testes. A conclusão é simples, devemos testar muito mais para entender o real cenário em que estamos.

Nesse sentido, temos boas notícias, pois no momento em que os protocolos internacionais para a detecção da COVID-19 foram divulgados pela OMS, a Fiocruz, principal instituição não-universitária de formação e qualificação de profissionais da saúde no Brasil, importou da Alemanha insumos necessários e iniciou o desenvolvimento dos testes no Brasil, com o apoio do Instituto Butantan, que foi considerado com um reforço necessário. O Diretor do Instituto, Dimas Tadeu Covas, assume a coordenação para realização dos testes em SP.


Momento de Reflexão...

Ao apresentar essas informações nossa intenção é trazer o leitor à realidade mostrando que as coisas estão complicadas sim, e não podemos fechar os olhos quanto à isso, mas a melhor forma para combater essa pandemia é o otimismo consciente, que é atingido através do senso crítico, da fé e da informação.

Informação essa que gostaríamos de passar com cautela e de forma organizada, para que ao final dessa empreitada tenhamos feito a nossa parte: conscientizar e olhar para o futuro com os olhos de quem já viu a luz no fim do túnel.

O otimismo segundo a psicologia é uma questão de atitude pessoal, e desempenha um papel central nas experiências humanas.

Para dar largada na sequência de boas novidades, nós publicamos nesta semana um post sobre iniciativas locais da cidade de Curitiba que vão de encontro com o que acreditamos.

Para conferir nosso post completo, clique na imagem abaixo e solicite o acesso.


#oquevocepodefazerparadeixaromundomelhor#golocal

11 visualizações0 comentário